Social Icons

1

domingo, 29 de dezembro de 2013

Como Conduzir Uma Criança A Jesus

COMO CONDUZIR UMA CRIANÇA A JESUS
Quando a criança compreender o que é certo e o que é
errado, também saberá quando desobedeceu a Deus. E se
puder entender que Cristo morreu por ela e assim crer
nele, então poderá tomar a decisão de aceitá-lo como
Salvador.
Você poderá apresentar o plano de salvação para uma
criança da seguinte forma:
• Quando fazemos coisas más, entristecemos a Deus,
nosso Criador,
• Quando não ajudamos as pessoas que precisam de nós,
Deus também fica triste,
• Aí então, o pecado entra em nossa vida,
• O pecado nos faz sofrer muito porque nos separa de
Deus,
• Mas Deus nos ama muito,
• Por isso Ele enviou Jesus, seu Filho, para nos ajudar,
• Jesus morreu na cruz em nosso lugar,
• Ele fez isso para perdoar todos os nossos pecados,
• Quando cremos e aceitamos a Jesus, Ele limpa a nossa
vida, e
• Com a nossa vida limpa ficamos amigos de Jesus e
filhos de Deus.
Se você estiver certo que a criança entendeu o plano
de salvação, não deixe passar a oportunidade e ofereça
Jesus, pedindo-lhe que aceite Jesus em seu coração.
Se a criança não entender, explique-lhe que “aceitar
Jesus” quer dizer deixar Jesus entrar no coração para Ele
limpar o nosso coração e ficar morando sempre nele.
Se a criança disser que aceita a Jesus, conduza-a numa
oração, pedindo-lhe para repetir suas palavras. Por
exemplo: “Senhor Jesus, neste momento, eu te aceito
como meu único e suficiente Salvador, perdoa todos os
meus pecados, limpa o meu coração de todas as coisas
ruins e fica morando no meu coração por todos os dias
da minha vida. Amém”.
Evangelizador, procure manter-se sempre próximo do
Senhor Jesus, através da leitura da Bíblia e da oração, em
harmonia com a sua família e em comunhão com a igreja.

Quando Fala de Jesus Para as Crianças

QUANDO FALAR DE JESUS PARA AS CRIANÇAS
Alguns pensam que a evangelização de crianças
somente deve começar quando a criança já sabe o que é
certo e o que é errado, ou seja, quando entra na chamada
“idade da consciência”. Outros entendem que o homem
tem que saber, desde pequeno, que é um pecador.
Parece-nos que o melhor é apresentar Jesus às
crianças o mais cedo possível, tomando-se, no entanto, o
devido cuidado no modo de apresentar-lhes o ensino
bíblico, que deverá levar em conta a idade da criança.
Na fase inicial da vida não há necessidade de
falarmos de pecado e de culpa para a criança. Mas
devemos encher o seu coraçãozinho da presença de Deus
através do ensino da Bíblia, de louvores e de oração. Isto
vai ajudá-la a permanecer com o coração limpo e o temor
a Deus.
A respeito das crianças, o próprio Jesus disse:
"...dos tais é o Reino de Deus" (Marcos 10:14)
e que
"... os seus anjos nos céus sempre vêem a face de meu
Pai que está nos céus" (Mateus 18:10).
Numa idade seguinte, quando a criança já sabe o que
é certo e sabe o que é errado, a noção de pecado já pode
ser entendida. Então, deve ser explicado para ela que
pecar é desobedecer a Deus. E que nossa desobediência
entristece a Deus, podendo nos afastar dele.
Para as crianças nessa idade, veja no próximo capítulo
uma sugestão de como apresentar o plano de salvação.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Aspectos Importantes Sobre a Vida de Jesus Cristo á Terra

Vejamos, de passagem, alguns aspectos importantes da vida de JESUS
CRISTO, os quais, demonstram a sua singularidade.
A vida de JESUS CRISTO é singular na sua total santidade, João¨8:46;
Heb¨4:15; 1ªPed¨2:22, no total cumprimento das profecias a seu
respeito, Mat¨1:22-23, 27:35; João¨1:45, e em sua total obediência a
DEUS, Mat¨26:39, 42; Mar¨14:36; Luc¨22:42; João¨4:34, 6:38-40.
DEUS se fez homem na pessoa de JESUS CRISTO e veio à Terra para salvar
o seu povo dos seus pecados, Mat¨1:20-23.

I, 1, CONCEPÇÃO SOBRENATURAL DE JESUS CRISTO.
A concepção de JESUS CRISTO aconteceu de modo sobrenatural.
A virgem Maria recebeu, através de um anjo, a notícia de que seria mãe
do SALVADOR, o anjo lhe disse que JESUS CRISTO seria gerado no seu
ventre pelo poder do ESPÍRITO SANTO, Luc¨1:26-35; José, também foi
avisado por um anjo acerca deste acontecimento, Mat¨1:18-21.
Este fato se deu em cumprimento à profecia de Is¨7:14; Mat¨1:22-23.

I, 2, O NASCIMENTO DE JESUS CRISTO.

Mat¨1:25, fala sucintamente do nascimento de JESUS CRISTO.
Luc¨2:1-7 narra com mais riqueza de detalhes o nascimento de JESUS CRISTO.
O profeta Miquéias havia profetizado, que JESUS CRISTO nasceria em
Belém, Miq¨5:2; Mat¨2:4-6, porém, José e Maria moravam na Galiléia, na
cidade de Nazaré, Luc¨2:4.

DOUTRINA CRISTÃ DE JESUS CRISTO .

5. Contudo, a profecia se cumpriu, cabalmente, sem que José e Maria
interferissem, pessoal e isoladamente, para que a mesma se cumprisse.
O imperador Romano, César Augusto, decretou um alistamento
(recenseamento) em todo o império e, para obedecer tal decreto, todos
os habitantes que moravam fora de suas cidades de origem, deveriam
alistar-se em suas próprias cidades, Luc¨2:1-5.
Com toda a certeza, o dedo de DEUS estava por trás deste decreto.
Por isso, José e Maria saem da Galiléia e vão até Belém para
alistar-se no recenseamento, oportunidade esta, em que JESUS CRISTO
nasceu, Luc¨2:1-7.

I, 3, A GENEALOGIA DE JESUS CRISTO.
Mat¨1:1-17 e Luc¨3:23-38, nos apresentam a genealogia de JESUS CRISTO.
As genealogias mostradas pelos dois Evangelistas são muito diferentes.
A diferença entre as duas genealogias se deve ao fato de Mateus
apresentar a genealogia de JESUS CRISTO pelo lado paterno e Lucas
apresentá-la pelo lado materno.
Além disto, a genealogia de Mateus chega apenas a Abraão, ao passo que
a genealogia de Lucas vai até Adão e DEUS.
A apresentação da árvore genealógica de JESUS CRISTO é importante, não
para mostrar conhecimento, mas, principalmente, para provar ao povo
judeu, através de Mateus e aos gentios, por intermédio de Lucas, que
JESUS CRISTO, além de todos os demais cumprimentos proféticos, tem
todos os requisitos necessários, para ser recebido como O MESSIAS
prometido, Dan¨9:25-26, já que descende do rei Davi Mat¨1:6;
Luc¨3:31-32, e de Abraão, Mat¨1:1-2; Luc¨3:34.

I, 4, A EXALTAÇÃO DE JESUS CRISTO APÓS SEU NASCIMENTO.


Após seu nascimento, JESUS CRISTO foi exaltado:
01, Pelos anjos, Luc¨2:8-14¨(14).
02, Pelos pastores, Luc¨2:15-20.
03, Pelos magos do Oriente, Mat¨2:1-12¨(11).
É bom sabermos, que a visita dos magos não aconteceu imediatamente ao
nascimento de JESUS CRISTO, demorou, isto sim, algum tempo.
Outro fato importante, a palavra magos, deve ser entendido como sábios.

I, 5, A CIRCUNCISÃO DE JESUS CRISTO E SUA APRESENTAÇÃO NO TEMPLO.

A circuncisão era sinal de aliança entre o povo israelita (judeu) e
DEUS, Gên¨17:9-14; Lev¨12:1-3.

Por ser judeu, JESUS CRISTO também foi circuncidado, Luc¨2:21.
DOUTRINA CRISTÃ DE JESUS CRISTO .
6. Além disso, quando se cumpriram os dias da purificação de Maria, JESUS
CRISTO foi levado ao templo em Jerusalém para ser apresentado ao SENHOR,
Luc¨2:22-24, para cumprir a determinação DIVINA, Êx¨13:1-2, 22:29.

I, 6, A FUGA DE JESUS CRISTO PARA O EGITO E SUA VOLTA.

Em virtude do ódio do rei Herodes, ao rei dos judeus (JESUS CRISTO) e
do aviso do anjo do SENHOR, José e Maria fugiram para o Egito, levando
JESUS com eles, Mat¨2:12-18¨(14).
Do Egito só retornaram após a morte do rei Herodes, a qual, também foi
notificada pelo ANJO DO SENHOR, Mat¨2:19-23¨(21).
Temos aqui uma demonstração da preservação de DEUS (DEUS PAI), sobre o
menino JESUS (DEUS FILHO).
Temos também, o cumprimento de uma profecia acerca de JESUS CRISTO,
Osé¨11:1; Mat¨2:15.

I, 7, JESUS CRISTO NO TEMPLO AOS DOZE ANOS DE IDADE.

Aos doze anos de idade, após uma visita a Jerusalém durante uma
festa religiosa da páscoa, JESUS CRISTO ficou na cidade à revelia
de seus pais.
Porém, não estava perdido, ficou no templo dialogando com os doutores,
ocasião em que foi admirado pela sua imensa sabedoria, Luc¨2:47.
Ao ser encontrado por seus pais foi repreendido por estes, JESUS
CRISTO respondeu que estava tratando dos negócios do seu PAI (DEUS).
Esta narrativa está em Luc¨2:41-51.


domingo, 3 de novembro de 2013

Deus nos chamou para se facilitadores do reino reino

DEUS NOS CHAMA PARA QUE SEJAMOS FACILITADORES (1Co 16.14)

Temos de Deus muito o que repassar aos outros: o evangelho deve ser repassado (Mt 28.19,20). Porque somos facilitadores do reino de Deus, o produto da vida cristã deve ser repassado (Ef 2.8ss), o fruto do Espírito deve ser repassado (Gl 5.22,23). O fruto do Espírito é um programa de vida a ser facilitado, repassado e posto em ação:
• AMOR (Cl 3.14). Deus é amor; o amor perdoa (1Co 13)
• ALEGRIA (Rm 14.17). Não são sorrisos; "Alegrai-vos no Senhor"; Cuidado com a confiança mal colocada (deve ser posta no Senhor);

• PAZ (Rm 12.18)
• PACIÊNCIA (Cl 3.12,13).Mesmo na provocação;
• BENIGNIDADE (Cl 3.12);
• BONDADE (Gl 6.10);
• FIDELIDADE (Pv 20.6)
• MANSIDÃO e
• DOMÍNIO PRÓPRIO (Pv 25.28)

Sobre o amor, lembremos que no evangelho há o amor de Deus por nós; o nosso amor por Deus; o nosso amor pelos outros.

Quanto ao amor de Deus por nós, conforme expresso em João 3.16; 1João 4.19. O que distingue o evangelho de qualquer outro sistema religioso, teológico ou filosófico é o verbo "dar". Deus deu. Agostinho ensinou que "Deus ama a cada um de nós como se só houvesse um de nós para amar".

Em relação ao nosso amor por Deus, amo realmente a Deus e a Cristo? Em João 21, há uma expressiva pergunta de Jesus: "Simão, filho de João [ponha seu nome e sobrenome], amas-me?" Como podemos ser facilitadores se perdemos o primeiro amor?

O terceiro tema é o nosso amor pelos outros. Ou colocamos em ação ou não somos facilitadores de coisa nenhuma.

CONCLUSÃO

Quem somos? Essa foi a pergunta proposta. Percebeu que responsabilidade tem? Adoradores, Intercessores e Facilitadores do reino de Deus. Como Ele é bom: elegeu-nos em Cristo, deu-nos uma comissão, sustenta-nos na obra, e espera que sejamos responsáveis. Dele dependemos; nEle esperamos.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

O dízimos do Senhor gera tanta dúvida

Este assunto dos dízimos tem estado na dúvida para muitas pessoas. Há quem diga e defenda com unhas e dentes que não é mais para hoje em dia, e há quem defenda com unhas e dentes que permanece atualmente. Ambos os lados (contra e a favor) as vezes apresentam revelações, razões, textos bíblicos, argumentações, testemunhos sobrenaturais, e isso num primeiro momento pode parecer confuso, mas se formos sábios vai acabar nos ajudando. Muitos quando estão ouvindo muitas vozes diferentes falando muitas coisas diferentes acabam ficando confusos, mas outros entendem que este é o momento de ouvirmos a voz de Deus.

“Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo
Espírito Santo.” 2 Pedro 1:20-21 O Profeta David Owuor tem repetidamente falado que a Igreja deve voltar para a bíblia, pois apenas ali poderemos conhecer quando Deus falou e quando Deus não falou. Isso nos diz que o Espírito do Senhor precisa nos ajudar a interpretar as Escrituras, e nos próprios textos que são mais debatidos como Malaquias 3 (dízimos) por exemplo, ali no próprio texto, com a interpretação correta desfaremos todo o engano (Gênesis 40:8).

Na realidade a igreja atual desacostumou-se a
viver pela fé, e agora passou a confiar em suas posses, em seu dinheiro. Este assunto só gera polêmicas e controvérsias porque estamos olhando mais para o dinheiro do que para Cristo. 

Os pastores brigam porque acham que sem dízimos não haverá sustento da obra, e os irmãos brigam porque acham que dando dízimos receberão algo em troca de Deus. Vou lhe dar um breve histórico do dízimo nas escrituras, e então entrar na Nova Aliança, Novo Testamento. Se você ainda não orou pedindo ao Senhor entendimento sobre este assunto, peço que ore neste momento, pare de ler por um ou dois minutos e ore ao Senhor e lhe agradeça.

O problema nas igrejas do Brasil e do mundo todo não é que as pessoas não estão trazendo dinheiro para a casa. Não é que as pessoas não estão ajudando a manter as igrejas. Não é que as pessoas não estão
ajudando na obra. 

O problema é que não estão trazendo o Evangelho da Consagração, do Temor a Deus, do Arrependimento e da Santidade para a casa. Estas coisas nós deveríamos trazer para a Casa de Deus!
Primeiro de tudo quero que entendamos o que é a Casa do Tesouro, ou depósito do templo. Aos israelitas na lei de Moisés foi ordenado que trouxessem os dízimos (décima parte) do Trigo, do Azeite e do Mosto
(Vinho Novo) para que o serviço de Deus fosse mantido. Dízimos, portanto eram mantimento, comida. Se nos lembrarmos muito bem Israel possuía 12 tribos, das quais o Senhor separou uma, a Casa de Levi, os descendentes de Arão, para que lhe fossem um sacerdócio consagrado. Estes levitas não teriam direito a possessões como os demais israelitas, a sua porção era o próprio Senhor.
“Porém, à tribo de Levi, Moisés não deu herança; o Senhor Deus de Israel é a sua herança, como já lhe tinha falado.” Josué 13:33
“No mesmo tempo o Senhor separou a tribo de Levi, para levar a arca da aliança do Senhor, para estar diante do Senhor, para o servir, e para abençoar em seu nome até ao dia de hoje. Por isso Levi não tem parte nem herança com seus irmãos; o Senhor é a sua herança, como o Senhor teu Deus lhe tem falado.” Deuteronômio 10:8-9
“Tão-somente à tribo de Levi não deu herança; os sacrifícios queimados do Senhor Deus de Israel são a sua herança, como já lhe tinha falado.” Josué 13:14
Isso nos mostra que das 12 tribos, 1 tribo era separada para sacerdócio, eles não teriam as mesmas funções que os demais israelitas, não teriam herança como os demais israelitas, mas o Senhor seria a sua herança. Israel era o povo que Deus tinha tirado da terra do Egito. 

Eles estavam acostumados a escravidão Egípcia.
Nesta escravidão eles tinham que regar as plantações a pé, eles iam até o rio Nilo e de lá pegavam água
num balde e então traziam até a plantação, assim faziam várias vezes até que a terra estivesse irrigada.
Mas o Senhor lhes disse que a terra em que eles iriam entrar agora era muito diferente, não tinha um rio como o Nilo, mas era uma terra que bebia água da fonte do céu.

“Porque a terra que passas a possuir não é como a terra do Egito, de onde saíste, em que semeavas a tua semente, e a regavas com o teu pé, como a
uma horta. Mas a terra que passais a possuir é terra de montes e de vales; da chuva dos céus beberá as águas; Terra de que o Senhor teu Deus tem cuidado; os olhos do Senhor teu Deus estão sobre ela continuamente, desde o princípio até ao fim do ano.

E será que, se diligentemente obedecerdes a meus mandamentos que hoje vos ordeno, de amar ao Senhor vosso Deus, e de o servir de todo o vosso coração e de toda a vossa alma, Então darei a chuva da vossa terra a seu tempo, a temporã e a serôdia, para que recolhais o vosso grão, e o vosso mosto e o vosso azeite. 

E darei erva no teu campo aos teus animais, e comerás, e fartar-te-ás. Guardai-vos, que o vosso coração não se engane, e vos desvieis, e sirvais a outros deuses, e vos inclineis perante eles; E a ira do Senhor se acenda contra vós, e feche ele os céus, e não haja água, e a terra não dê o seu fruto, e cedo pereçais da boa terra que o Senhor vos dá. Ponde, pois, estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma, e atai-as por sinal na vossa mão, para que estejam por frontais entre os vossos olhos.  Amem muito estudo pouco espaço para por obrigado por ler 

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

A ÁGUIA E OS IMPÉRIOS

A ÁGUIA E OS IMPÉRIOS.

Anteriormente os países que consideravam-se fortes e invencíveis tinham como símbolo uma águia. Os Estados Unidos da América, tomou a águia como seu símbolo em 1872, para cumprir-se o que está escrito
(Dt. 28:4-9).
Semelhantemente o simpérios : Russo, Prussiano, Austríaco, a França de Bonaparte e o império Romano. Na era de Jesus ostentava-se no cume do templo de Salomão uma grande águia, que era o símbolo de Roma.

O CRENTE E A ÁGUIA
Depois de meditar com bastante precisão, em
Isaias 40:31
e
II Samuel 1:23,
fui obrigado a fazer uma pesquisa profunda sobre estes dois seres distintos, a saber: o crente
e
a águia. Cheguei a conclusão que os escritores dos versículos citados,estavam redondamente certos, quando disseram que o crente é semelhante a uma águia.

INTRODUÇÃO AO TEXTO

Em Isaias 40 versículo 31 lemos o seguinte:
"Mas os que esperam no senhor, renovação as duas  forças, e subirão com asas de águias ",
observemque há duas promessas nesse texto bíblico.Observem também que estas duas promessas não épara todos os habitantes da terra, e sim para os que esperam no Senhor. O texto é taxativo, aspromessas são para os que esperam no Senhor Deus de Israel e não para os que esperam em:
São Fulano
ou São Beltrano
(ídolos). Fica aqui uma indagação. Qual o povo que de

fato espera no Senhor, senão os crentes na pessoa bendita de Jesus?
Então o texto acima diz que para os crentes há duas promessas:1
- Forças renovadas

(Renovarão as suas  forças);
2
- De subir aos céus, semelhantemente a uma águia. (O que será que I saias viu na águia, ounas águias para usá-la como figura, símbolo, tipo do cristão?)Segundo o doutor
Russel Wallace
(Grande ornitólogo), há no mundo 10.087 tipos de aves, e porque em meio a 10.087 tipos de aves,
Isaías não usou outro pássaro qualquer. »
Tal como:
Codorna, andorinha, bem-te-vi,sabiá, sua majestade rouxinol, etc. E sim uma águia?A resposta não é outra senão
"nenhuma outra ave poderia representar tão bem o cristão, quanto a águia " (digo salvo).

DEFININDO O TEXTO
ISAÍAS 40:31

A águia representa legalmente o crente. O crente e a águia são como a gente profere na Bahia"é tudo farinha do mesmo saco". Não se sabe quem é a xerox ou a matriz.A partir de agora estaremos estudando sobre esta majestosa ave, rainha das aves.Bem, o crente é representado por uma águia,sabeis porque?




Eis as razões:

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Jesus Ele é Rei de um Reino Espiritual


Ele é Rei de um Reino que se baseia na obra de redenção (resgate pelo sangue) (1 Pe 1.18-19)
O que significa que o reino de Cristo foi conquista pelo seu próprio sangue.

O que significa que ninguém pode ser cidadão deste reino simplesmente por ser humano. Mas é um privilégio dos redimidos (ou seja, daqueles que foram comprados pelo sangue de Cristo)
Conforme ele disse para Nicodemos; Para entrar neste reino é necessário que nascer da água é do Espírito.
Ele é Rei de um Reino Espiritual (João 18.36)
Em Lucas 17.20-21, Jesus disse que o Reino Dele não é um Reino aparente, por que o Reino Dele é espiritual está dentro de nós.

O Reino de Cristo é como o fermento dentro de uma massa que  não pode ser visto mais que é impossível não perceber os seus efeitos. (Mt 13.13)
 Em Rm 14 .17, Paulo diz que o Reino de Deus é justiça, paz e alegria no Espírito Santo.
Introdução: Jesus é o Rei dos reis,  o Senhor dos senhores. 
O soberano de todo o universo. O seu trono está estabelecido no céu e o seu reino domina sobre tudo. A Ele Deus deu toda autoridade no céu e na terra.
Ele é Rei de um Reino que se baseia na obra de redenção (resgate pelo sangue) (1 Pe 1.18-19)

O que significa que o reino de Cristo foi conquista pelo seu próprio sangue.
O que significa que ninguém pode ser cidadão deste reino simplesmente por ser humano. Mas é um privilégio dos redimidos (ou seja, daqueles que foram comprados pelo sangue de Cristo)
Conforme ele disse para Nicodemos; Para entrar neste reino é necessário que nascer da água é do Espírito.

Conclusão
Bem aventurado é aquele que a si mesmo se
humilha e  voluntariamente reconhece a Jesus com Senhor e Rei, por que um dia todos sem exceção, querendo ou não, terão que reconhece-lo Conforme disse o apóstolo Paulo em filipenses 2.9-11: “Pelo que Deus exaltou a Jesus sobremaneira e lhe deu um nome que está acima de todo nome para que ao nome de Jesus se dobe todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a gloria de Deus Pai (Filipenses 2.9-11)

Introdução: Jesus é o Rei dos reis,  o Senhor dos senhores. O soberano de todo o universo. O seu trono está estabelecido no céu e o seu reino domina sobre tudo. A Ele Deus deu toda autoridade no céu e na terra.

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

44 as parábolas de Jesus registradas nos Evangelhos

As parábolas são histórias que se caracterizam por serem de certa forma curtas e objetivas. Elas têm o objetivo de transmitir ensinos e normalmente o fazem por meio de comparações, da explanação de fatos reais e de elementos comuns à época em que foram escritas. Os ensinos transmitidos são os mais variados, mas, normalmente, vemos ensinos ligados à moral e virtudes, à sabedoria e também à religião e doutrina.

No AT encontram-se algumas parábolas: 
2Sm 12.1-4; 14.6-7; Is 5.1-7; Ez 19.1-9; cap. 23; 24.1-14.  
São 44 as parábolas de Jesus registradas nos Evangelhos, alistadas a seguir em ordem alfabética:  


O administrador desonesto (Lc 16.1-9);  
O amigo importuno (Lc 11.5-8);  As bodas (Mt 22.1-14);  
O bom samaritano (Lc 10.29-37);  A casa vazia (Mt 12.43-45);  
Coisas novas e velhas (Mt 13.51-52);  
O construtor de uma torre (Lc 14.28-30);
  O credor incompassivo (Mt 18.23-35);  
O dever dos servos (Lc 17.7-10);  
As dez virgens (Mt 25.1-13);  
Os dois alicerces (Mt 7.24-27);  
Os dois devedores (Lc 7.40-43);  
Os dois filhos (Mt 21.28-32); 
A A dracma perdida (Lc 15.8-10);  
O fariseu e o publicano (Lc 18.9-14);  
O fermento (Mt 13.33);  
A figueira (Mt 24.32-33);  
A figueira estéril (Lc 13.6-9);  
O filho pródigo (Lc 15.11-32); 
A grande ceia (Lc 14.15-24);  
Jejum e casamento (Lc 5.33-35);  
O joio (Mt 13.24-30,36-43);  
O juiz iníquo (Lc 18.1-8);  
Os lavradores maus (Mt 21.33-46);  
Os meninos na praça (Mt 11.16-19);  
A ovelha perdida (Lc 15.3-7);  
O pai vigilante (Mt 24.42-44);  
A pedra rejeitada (Mt 21.42-44);  
A pérola (Mt 13.45-46);  
Os primeiros lugares (Lc 14.7-11);  
A rede (Mt 13.47-50);  
O rei que vai para a guerra (Lc 14.31-32); 
O remendo com pano novo (Lc 5.36); 
O rico e Lázaro (Lc 16.19-31); 
O rico sem juízo (Lc 12.16-21);  
O semeador (Mt 13.3-9,18-23);  
A semente (Mc 4.26-29);  
A semente de mostarda (Mt 13.31-32);  
O servo fiel (Mt 24.45-51);  
Os servos vigilantes (Mc 13.33-37);  
Os talentos (Mt 25.14-30); 
O tesouro escondido (Mt 13.44);  
Os trabalhadores da vinha (Mt 20.1-16);  
O vinho e os odres (Lc 5.37)

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

O Vocabulário Pervertido

O VOCABULÁRIO PERVERTIDO

O Senhor Jesus Cristo disse: “porque a boca fala do que está cheio o coração”(Lucas
6.43-45). A fala é uma faculdade diferenciada do ser humano (os animais não falam). É a expressão do nosso espírito, com ela expressamos nossas reações, sentimentos, idéias,
desejos, pensamentos, etc. Além disso, o modo e o tom com que falamos normalmente refletem o nosso estado de
ânimo, o estado de nosso ser interior (dizemos normalmente porque podemos algumas vezes falar fingidamente). Já que o falar é a nossa principal forma de expressão, a maioria dos pecados que cometemos é com a boca. Muitos outros pecados são também acompanhados por uma expressão verbal.

1. UM SINTOMA DE DECADÊNCIA.

A forma corrente de falar torna evidente a decadência moral e espiritual da presente
geração. O vocabulário utilizado hoje em dia tanto por homens como por mulheres, sejam adultos, crianças ou velhos, é um sintoma inconfundível da deterioração dos bons costumes e da pureza de espírito.
Ao mesmo temo é um testemunho eloqüente daquilo que impera no coração dos
homens: atrevimento, irreverência, agressividade, pessimismo, derrota, ironia, presunção, morbidez etc.

2. O DESPREZÍVEL VOCABULÁRIO DO VELHO HOMEM

(Colossenses 3.8-9; Efésios 4.29). Consideremos alguns dos pecados mais comuns que cometemos com a boca, aos quais devemos chamar de PECADOS e dos quais devemos nos arrepender, eliminando-os totalmente do nosso vocabulário.

a) Blasfêmias, insultos, palavras más, grosserias (Colossenses 3.8), sejam elas contra Deus, contra o nosso próximo ou simplesmente sem ter alguém como alvo específico.
b) Conversação torpe, palavras vãs ou chocarrices, palavras desonestas (Efésios 5.3-4; Filipenses 4.8).
c) Ofensas, expressões agressivas, palavras ásperas, gritarias (Tiago 3.2-12; Mateus 5.22; Colossenses 3.8).
d) Zombarias, motejo, escárnios, sarcasmos (Salmo 1.1; Provérbios 3.34). A zombaria é uma expressão muito generalizada em nosso meio, são poucos os que têm conhecimento de que ela de ser banida de nós. A zombaria é prejudicial, não flui do Espírito Santo, é obra da carne, pois não brota do amor que possuo para com a pessoa de quem estou zombando. Ao fazermos tal coisa apagamos o Espírito em nossas vidas, machucamos as pessoas e, além disso, abrimos uma porta para que a leviandade se
propague em nosso meio (Levítico 19.14). e) Fofocas, murmurações, maledicências, calúnias.

- FOFOCAS: é falatório, conto ou notícia, verdadeira ou não, com que se cria inimizades (Levítico 19.16).
- MURMURAÇÃO: é uma conversa difamatória que compromete a honra ou o bom nome de outrem.
- CALÚNIA: é acusação falsa e maliciosa feita com o propósito de causar dano (Salmo 15.3). Essas expressões, mesmo sendo semelhantes, não são idênticas; todas procedem do mesmo
espírito, ou seja, causar dano ao próximo, estando nós conscientes ou não disso. É pecado que
atenta contra a vida do outro (Levítico 19.16). Somos responsáveis diante de Deus por não
cometê-los, como também por não escutá-los (Salmo 15.3).
f) Queixas, resmungos, protestos, lamentações. A queixa é uma das notas mais dominantes
do vocabulário do homem. A queixa reflete derrota interior diante das situações de nossa
vida. Deus nos afirma em Romanos 8.28 que “todas as coisas cooperam para o bem
daqueles que amam a Deus”. Portanto, devemos sempre dar graças a Deus por tudo
(Efésios 5.20).
g) Tolices, estupidez, leviandade, inconsequências (Provérbios 15.14; Efésios 5.4;
Mateus 12.36).

3. APRENDER A FALAR DE UMA NOVA MANEIRA.

Se a boca fala do que está cheio o coração, ter um coração novo significa ter um novo
vocabulário (Lucas 6.45). Há quatro princípios que devem reger nossas conversações:
a) Tudo o que falamos deve ser para edificação (Efésios 4.29).
b) Toda conversação deve ser feita em nome do Senhor Jesus (Colossenses 3.17).
c) Tudo o que falamos deve ser com graça (Colossenses 4.6). A chave para obtermos graça é
a humildade.
d) A fé deve ser sempre a nota dominante de nossas conversações.

4. NOSSA BOCA COMO INSTRUMENTO DE DEUS (Romanos 6.13).
a) Ensinando, exortando, animando (Colossenses 3.16).
b) Orando sem cessar (I Tessalonicenses 5.17).
c) Cantando louvores, salmos e cânticos espirituais (Efésios 5.19).
d) Dando sempre graças por tudo (Efésios 5.20).
e) Pregando em todo o tempo, comunicando o Evangelho (II Timóteo 4.2).
f) Proclamando a verdade (Efésios 6.17).

g) Falando em novas línguas (I Coríntios 14.18).
"As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, Senhor, ROCHA MINHA E Redentor meu".(Sl 19:14).

Portanto vamos estar atentos para o que falamos.
(ÊX 39:30) "Fizeram também, de ouro puro, a lâmina da coroa de santidade, e nela escreveram o escrito como de gravura de selo: SANTIDADE AO SENHOR."
 

Pregação Abençoada

PUBLICIDADE

O Mais Baixado De 2012

Ares Alcohol 120% Adobe Flash Player CCleaner CD BurnerEmule FilZip Google Chrome Google Earth Internet Explorer KM Player Lime Wire Media Player Classic Messenger Plus Mozilla Firefox MSN Messenger 2009 Opera Picasa Realtek Real Player Download Accelerator Plus FormatFactory uTorrent Virtual DJ XP Codec Pack Windows Media Player 11 Winamp Winrar Winzip VDownloader Avast AVG Avira Kaspersky NOD 32 Microsoft Security Essentials Adobe Reader Skype Daemon Tools Photo Scape Directx DVD Shrink K-Lite Codec Pack Photo Filtre Shareaza Messenger Discovery Live Puxa Rapido Revo Uninstaller Team Viewer The Gimp

1000


" />

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE